Make your own free website on Tripod.com



Vampiros são os assassinos da noite, e ninguém o é mais que os Assamitas, assassinos de vampiros e humanos. Normalmente chamados de archons pelos Justicars e de assassinos pelos príncipes, nenhum clã é mais temido pelos outros vampiros.Sectitas e taciturnos, os assamitas vão viajar a qualquer lugar na procura dos seus alvos, aceitando como pagamento o sangue dos seus empregadores.

Da mesma forma que os outros vampiros os assamitas gastam muito do seu tempo numa busca solitária, mas são também bem conhecidos tanto pelas suas perícias quanto pelas técnicas de assassinato. Em troca do uso dos seus talentos únicos contra os inimigos dos príncipes ou os inimigos dos anarquistas, os assamitas pedem uma poção da vitae dos seus empregadores. Eles não aceitam todos os contratos, mas uma vez que um é aceito eles se consideram como contrato de honra executar exatamente o acordo firmado.

O clã foi fundado a mais de um milênio atrás nas hinterlands das montanhas da Turquia, e sempre teve sua privacidade ferozmente protegida. Os assamitas são fundamentalistas de um tipo bizarro, praticando uma fé que mistura muitas religiões do Oriente Médio e mitos vampíricos. Eles acreditam que a única forma dos vampiros encontrar o "paraíso" é se tornando próximos de Caim (e o único meio para isso é abaixando sua geração).

Muitos clãs tem na sua história recente os assamitas ligados a diablerie, procurando sempre torna-se mais próximos a Caim. Eles se tornaram os mais temidos assassinos entre os vamipros. A história do clã assamita diz que o fundador do clã matou dois vampiros de secunda geração pelas suas próprias mãos.

Infelizmente para o clã não é possível cometer diablerie. Durante a alta Idade Média (durante o período do Sabbat uprising), os assamitas acharam fácil caçar suas presas. Tantos elders foram mortos que a Camarilla declarou uma "caçada de sangue" contra todo o clã. Depois de um período de sete anos, o Alamut, a velha fortaleza santuário, estava próxima de ser discoberta. Pela primeira vez na história o clã negociou por paz e negociou um trato complicado.

Os assamitas assumiram nunca mais caçar outros vampiros pelos seu sangue e, em troca, a caçada de sangue contra eles foi revogada. O clã foi forçado a permitir que o Concílio dos Sete dos Tremere lançassem um grande ritual sobre todos os membros. Este ritual tornou impossível aos assamitas beber o sangue de outro vampiro.

Ainda assim, os assamitas adaptaram alguns dos ritos ancestrais do clã de forma que eles se aproximassem do diablerie. O sangue que eles pegam como pagamento de todos que lhes empregam é coletado e então utilizado no "ritual da criação". Os membros do clã se encontram de cinco em cinco anos quando eles podem fazer poções usando o sangue coletado. Estas poções podem ser utilizadas para baixar efetivamente a geração do membro do clã.

Qualquer assamita que espera baixar a geração precisa juntar 200 pontos de sangue de um não assamita de geração igual ou menor para que a poção seja eficiente (leva-se decadas para se juntar essa quantidade de sangue). Cada assamita dá ao seu senhor um décimo do sangue que ele consegue.



Mesmo não tendo Laço de sangue ou a disciplina Dominção como parte da tradição do clã, os assamitas são, normalmente, fanáticamente leais ao clã. Qualquer um que fraudar a ação de um assamita ou atacá-lo numa situação outra que não se defendendo de uma tentativa de homicídio, o peso do clã todo vai cair sobre sua cabeça.

Sendo o assassino morto pelo alvo, o clã não ira vingar sua morte. Seus membros não vão aceitar outros contratos pela cabeça do alvo, e vão sempre honrá-la quando lhes for dada a chance.

Contratados habitualmente como arcontes pelos Justicars, e como assassinos pelos príncipes, não há clan mais temido pelos membros. Misteriosos e taciturnos, os Assamitas seguem sua presa a qualquer parte do mundo, e aceitam como pagamento o sangue de seus empregadores.

Uma vez firmado o contrato, o assassino não vai parar de tentar cumprir-lo até que o alvo esteja morto ou o assamita tenha prova de que o contratante o enganou (lhe disse que o vampiro era de nona geração quando na verdade ele era de sexta geração, ou negligenciou que o alvo era protegido por uma matilha de lobisomens).

Apelido: Assassinos.

Aparência: Como a maior parte dos assamitas tem origem no Oriente Médio, eles partilham das características do povo daquela regiões (pele ..., feições ... e cabelo escuro). Enquanto a maior parte dos vampiros se tornam pálidos com o tempo, os membros deste clã se tornam mais escuros com o passar do tempo, até que as suas peles se tornem negras.

Refúgio: Os elders assamitas vivem no Alamut, uma fortaleza localizada no topo de uma montanha em algum lugar da Ásia Menor. Enquanto estão distantes do refúgio do clã, os neonatos escolhem lugares inacessíveis e solit ários como seus refúgios.

Antecedentes: Geralmente o clã observa um indivíduo por um longo tempo antes de permitir que ele seja admitido. Se a permissão é concedida, o mortal precisa servir ao seu futuro senhor por sete anos e, apenas se, ele lhe serve muito bem ele é abraçado (se não ele é morto). Ele é então chamado "findais" e recebe ensinamentos por mais sete anos, tempo no qual ele é introduzido nos mistérios do clã e aprende as técnicas de assassinato. Durante todo este período lhe é cobrado uma lealdade fanática ao clã.

Criação de personagem: Quase todos os assamitas são do Oriente Médio, e muitos deles são soldados, exploradores, investigadores ou criminalistas. Suas naturezas e comportamentos são normalmente parecidos, mas nunca são os mesmos. Qualquer um dos atributos podem ser primários, mas as perícias são as abilidades primárias. Backgrounds populares incluem: Mentor (o senhor) e prestígio no clã (para conseguir bons contratos).

Disciplinas: : Rapidez, Ofuscação, Quietus.

Fraquezas: Os assamitas tem duas "fraquezas de sangue" conhecidas. A primeira está relaciona à cobrança feita a todos os seus membros 10% do sangue conseguido para os seus senhores. A segunda está ligada à incapacidade dos mesmos de tomar o sangue de outro vampiro, e se eles são forçados a tal, o sangue age como um veneno mortal para eles. Cada ponto de sangue de outro vampiro que entra no organismo de um assamita lhe dá um ponto de dano não agravado.

Organização: Os líderes assamitas vivem no Alamut (ninho de águia), sua antiga montanha, longe dos olhos dos outros. Aqui eles recebem pedidos de assassinatos dos vampiros e mortais mais poderosos, e atribuem assassinos a cada contrato específico. Embora não seja obrigatório aceitar o "pedido-contrato", o assamita perde prestígio se deixa de aceitá-lo. Jovens assamitas são enviados em ao mundo todo e estão livres para aceitar contratos individuais de outros indivíduos que não os líderes de clã.

Ganhando prestígio no clã: O caminho mais rápdio para se ganhar prestígio no clã e atráves de vários assassinatos, mas ainda sim há outros meios para isso. Membros do clã frequentemente comercializam cada ponto de sangue que eles recebem como pagamento. Por exemplo, um assamita de nona geração pode trocar dois pontos de décima geração com uma irmã assimita por um de nona geração. Ajudando outros membros do clã dessa maneira eles também ganham prestígio.





O Tratado de Tyre, 1496
(The Treaty of Tyre)

Hoje, nós anciões dos clãs Ventrue, Tremere, Toreador, Nosferatu, Gangrel, Brujah e Malkavian, nos reunimos aqui em nossa irmandade, com fé mutua na seita conhecida como Camarilla, como sendo o único e verdadeiro legado de Caim, para por um fim as praticas diabólicas dos rebeldes conhecidos como o Clã Assamita; assim sendo o chamado Clã Assamita deseja que a dita Camarilla mantenha firme este acordo e pare com suas investidas que estão levando o dito Clã à extinção. Então, ambas as partes concordaram com o acordo, assinaram e testemunharam em todas as nossas reuniões, que os Artigos seguintes estarão se referindo a toda a Progênie e Carniçais do Clã Assamita perpetuamente.

O Clã Assamita se absterá de se alimentar do Sangue de outros Membros, e por segurança deste Artigo, eles se submeterão a um ritual a ser administrado pelos Anciões do Clã Tremere, pelo qual será feito com que o sangue de outros membros seja letal para os Assamitas;

O Clã Assamita permanecerá pacificamente no território que lhes foi cedido pela Camarilla, o qual reivindicam historicamente. Eles não buscarão expandir seus domínios, nem permitirão afrontas mortais em seus territórios e a áreas próximas. Eles não sairão, isoladamente ou em grupos para fora deste território, e nem seus Rebanhos ou Lacaios poderão sair deste território.

Os Príncipes da Camarilla têm o direito perpétuo de convocar uma Caçada de Sangue contra qualquer Assamita em território da Camarilla, e não precisará de nenhuma outra razão, além da condição do indivíduo pertencer ao Clã Assamita.

Serão desmanteladas as defesas do castelo de Alamut ao ponto em que o castelo não possa resistir a qualquer ataque da Camarilla. O Clã Assamita permitirá aos observadores da Camarilla verificar se este artigo esta sendo cumprido. Qualquer tentativa de fortificar Alamut, ou tentar estabelecer uma fortificação em outro local, seria romper este artigo e portanto este tratado, e implicaria numa Caçada de Sangue contra os Assamitas.

A Camarilla firma aqui que irá cessar todas as ações e medidas que vinham sendo tomadas quanto aos Assamitas, e também não violará o território Assamita. Os Clãs da Camarilla afirmam que deixarão de contratar os membros do Clã Assamita como assassinos, e que os indivíduos que o fizerem perderam a proteção do Clã e estarão sujeitos à Caçada de Sangue. O Clã Assamita compromete-se de cessar toda e qualquer atividade de seus Membros como Assassinos para contratos.





[Voltar]